Saúde e Bem Estar - Herpes Simplex (PortugalGay.pt)
Pesquisa:
 
Parceiro PortugalGay
<

Herpes Simplex

>

Publicado em 1 Janeiro 2012 00:10 (23:10Z)



Herpes Simplex
Um vírus que nos acompanha toda a vida

Informação básica



A Herpes Simplex é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST) causada pelo Virus Herpes Simples (HSV). O HSV-II(2) normalmente origina úlceras nos órgãos genitais (vagina, pénis, anus) e na pele á volta destas áreas. O HSV-I normalmente origina efeitos semelhantes na boca.

Qual a frequência das Infecções por Herpes?



O HSV-I é muito comum na infância e é muitas vezes transmitido entre crianças quando partilham brinquedos ou brincam juntas. Podem ocorrer episódios em várias alturas da vida de um indivíduo. O HSV-II é também como entre adolescentes e adultos sexualmente activos. Nos E.U.A. afecta uma pessoa em cada cinco. 60% dos indivíduos infectados não sabem que são portadores da herpes genital, 20% têm sintomas que são demasiado leves para serem notados, 20% tem sintomas que são notados.

Quais é que são os sintomas da Herpes?



  • O primeiro episódio é geralmente o mais grave. O indivíduo pode ter gânglios inchados, febre, dores de cabeça em conjunção com as lesões vesiculares. Estas lesões evoluem para úlceras passados alguns dias. Ao fim de 2 a 3 semanas saram naturalmente.

  • As recorrências são quase sempre menos incomodativas, curtas e não tão severas como o primeiro episódio. Entre 30 a 70% das pessoas infectadas têm recorrências.

  • Como outros virus, o HSV mantêm-se no corpo durante toda a vida. Basicamente, o HSV hiberna nos nós nervosos quando não causa sintomas.

  • As recorrências são frequentemente associadas ao stress, fadiga, falta de sono, menstruação, exposição ao sol, fricção genital (novo parceiro sexual após um período de tempo sem relações) se bem que estas associações não estejam devidamente estudadas. Algumas pessoas tem ardor ou comichão no local das úlceras antes destas aparecerem.

  • Normalmente as recorrências são mais frequentes no primeiro ano após o primeiro episódio. Em algumas situações as recorrências acontecem em locais diferentes do corpo, pois quando o virus é reactivado no seu nó nervoso segue um conjunto de nervos diferentes até á pele.

  • Como se transmite a Herpes?



  • 70% dos novos casos são originados por pessoas que não tiveram sintomas.

  • O HSV-II é normalmente transmitido da área genital de um dos parceiros sexuais para a área genital do outro. É raro haver transmissão de HSV-II para a boca. Infelizmente o HSV-II pode ser transmitido para um parceiro sexual mesmo quando não existem úlceras. Isto acontece quando o virus está presente na pele mesmo sem sitomas visíveis.

  • O HSV-I pode ser transmitido para os orgãos genitais do parceiro sexual através de sexo oral, algumas vezes mesmo quando não existem úlceras. O HSV-I nos orgãos genitais normalmente origina muito poucas recorrências.

  • A Herpes é perigosa?



  • A Herpes raramente é uma infecção grave ou perigosa.

  • Independentemente da gravidade dos sintomas, a herpes genital causa frequentemente psychological distress nas pessoas que sabem estar infectadas.

  • Mulheres grávidas que tenham o primeiro episódio de herpes genital perto do parto podem transmitir o virus para o recém nascido o que pode ser muito problemático. Felizmente a infecção de um recém-nascido é rara em mulheres com recorrências das herpes genital.

  • As úlceras podem ajudar na transmissão do VIH, o virús que origina a SIDA. Uma pessoa com úlceras de Herpes pode ser mais suscetível de ser infectada pelo VIH quando exposta a um parceiro sero-positivo. De forma semelhante um indivíduo com VIH e herpes terá quantidades superiores de VIH nas úlceras o que pode aumentar o risco de contágio de ambas as doenças ao seu parceiro sexual.

  • Se o fluido de uma úlcera de herpes (oral ou genital) for passado para os olhos (por exemplo pelas mãos após tocarem uma úlcera e depois tocarem um olho) podem ocorrer danos permanentes na córnea.

  • Como se diagnostica a Herpes?



  • Um médico experiente pode diagnosticar o episódio inicial de Herpes pela sua aparência na maioria dos casos.

  • Existem testes de cultura viral que permitem identificar qual o tipo de herpes presente (i ou II). Para tal é necessário uma amostra do líquido de uma das úlceras. É mais eficaz nos episódios iniciais, a margem de erro nas recorrências é superior a 50%.

  • Existem vários novos testes sanguíneos, não disponíveis facilmente, que são caros (cerca de 15000$00 nos E.U.A.) mas eficazes no diagnóstico. Estes testes também distinguem o tipo (I ou II).

  • Como se trata a Herpes?



    Não existe cura para a Herpes. Existem vários medicamentos anti-víricos que diminuem os efeitos de uma recorrência se iniciados nos primeiros dias. Estes medicamentos tambem podem ser tomados diariamente por longos períodos para evitar recorrencias se estas forem muito frequentes, mais de 6 por anos. Estes medicamentos reduzem a quantidade de vírus presente nas úlceras da herpes. Estes tratamentos são dispendiosos.

    O que devo dizer ao meu parceiro sexual?



    Um diagnóstico de herpes deve ser conversado com um parceiros sexual potencial. Mesmo com utilização correcta de preservativo ainda pode ocorrer transmissão do virus pois nem todas as áreas afectadas podem ser cobertas por preservativos. Um parceiro potencial deve ser informado que é possível ser exposto e infectado pelo vírus. A maioria das relações sobrevivem às notícias. O seu parceiro pode querer obter mais informação e adaptar-se ao facto que você tem Herpes.

    Como posso evitar ser infectado?



  • o uso de preservativo é aconselhável mas não oferece uma protecção completa.

  • Se o seu parceiro tem herpes, não tenham sexo enquanto os sintomas estiverem presentes

  • Evitar sexo oral/genital quando o parceiro tem úlceras de herpes na boca.

  • Se ambos são monogâmicos e um tem herpes genital, falem com o vosso médico sobre a possível transmissão e infecção numa relação estável.



  • Notas:
    Estes documentos são apresentados a título meramente informativo e não dispensam o conselho do seu médico.
    Esta informação foi recolhida de várias fontes na Internet, consulte a página de links para mais informação
    Informe-se e informe o seu parceiro sobre as DSTs, use sempre um preservativo, evite o sexo anónimo, limite o número de parceiros sexuais.
     
    © 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
    A Sua Opinião
    Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
    Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

    Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

    Não é um robot

    Por favor marque as caixas CINCO e SETE.
    Depois clique em OK.

    © 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
    Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Casamento Civil para Todas as Famílias | Queer Lisboa | Jovem Gay | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal