Manuel Francisco Moura (1/7) (PortugalGay.pt)
Pesquisa:
 
Parceiro PortugalGay
Aberto
Poesia

Manuel Francisco Moura (1/7)

Solidão

Eu, vitima de mim mesmo
volto agora ao ermo,
Triste, por não saber voltar,
Triste, por não saber amar.

Caminho sem volta
Escuridão
Beco sem saída
Onde encontrar a paz?

Tudo ao meu redor se move
E me desaconselha...
a continuar nesse caminho;
Há outro?
piores imagino.

Então, paro... reflito:
Volte ao normal...
O que é ser normal?
Tantas coisas na mente
a serem aprendidas e repetidas?

Daí o estar só...
é complicado estar só...
Pensar diferente
estar num mundo de medíocres,
sendo o medíocre maior

 

31/05/95  

 

 

Manuel Francisco Moura
manoelfmoura@uol.com.br



Seguinte


O PortugalGay.PT não tem qualquer participação na produção destes texto excepto na sua disponibilização na Internet. As opiniões expressas são da inteira responsabilidade dos autores. Se quiser colocar um texto aqui contacte-nos.

 

Manuel Francisco Moura (1/7)

© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas UM e QUATRO.
Depois clique em OK.

© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Casamento Civil para Todas as Famílias | Queer Lisboa | Jovem Gay | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal