EGIPTO: Governo proíbe menções de gays na imprensa, rusgas homofóbicas continuam (PortugalGay.pt)
Pesquisa:
Parceiro PortugalGay

Sexta-feira, 6 Outubro 2017 14:02

EGIPTO
Governo proíbe menções de gays na imprensa, rusgas homofóbicas continuam



A imprensa egípcia foi proibida de mencionar a comunidade gay num decreto que apresenta a homossexualidade como "doença".


A repressão homofóbica começou no Egito no mês passado depois que bandeiras arco-íris terem sido apresentadas publicamente num concerto da banda libanesa Mashrou Leila, cujo cantor principal é abertamente gay.

Desde o concerto, as autoridades egípcias iniciaram uma "purga" voltada para a comunidade gay do país, invadindo casas e prendendo mais de 60 pessoas até o momento, de acordo com relatos.

Agora as autoridades aumentaram a repressão ainda mais proibindo a imprensa de relatar a situação: o Supremo Conselho de Regulação dos Meios de Comunicação do Egito emitiu uma declaração que "proíbe a apresentação de homossexuais ou suas mensagens", apresentado a homossexualidade como uma "doença". Gays só podem ser apresentados quando "reconhecem o fato de que sua conduta é inadequada e se arrependem por isso".

A decisão é justificada porque "a homossexualidade é uma doença e desgraça que seria melhor escondida da vista e não promovida para divulgação até que seja tratada e sua desgraça seja removida."

O presidente do conselho classificou a homossexualidade como um "mal extremamente perigoso" e explica que "devemos reforçar a noção de que um marido e uma mulher formam a base da família - sobre o qual não há ambiguidade no seu significado, estrutura ou definição correta"

Sarah Leah Whitson, Diretora do Oriente Médio e África do Norte da Human Rights Watch, considerou a situação uma "agressão viciosa"

O Egito deve suspender imediatamente essa agressão viciosa a um grupo vulnerável acusado de ter desfraldado uma bandeira. A repressão não transformará os homossexuais em heterossexuais, apenas irá perpetuar o medo e o abuso.
Não existe uma possível razão objetiva ou científica para colocar pessoas na prisão simplesmente por causa da sua sexualidade.
Dadas as prisões em massa e o clima de medo, a imprensa verdadeiramente objetiva sobre esta questão e dar voz a pessoas LGBT é mais importante do que nunca.
A homossexualidade não é proibida diretamente pela lei no país. No entanto, as autoridades são capazes de garantir condenações sob leis amplas que criminalizam a "imoralidade" e a "devassidão", que também são usadas para atingir as trabalhadoras do sexo.
 Sarah Leah Whitson, HRC

EGIPTO: Governo proíbe menções de gays na imprensa, rusgas homofóbicas continuam

Pode também ter interesse em:

 
© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas UM e SEIS.
Depois clique em OK.

© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Casamento Civil para Todas as Famílias | Queer Lisboa | Jovem Gay | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal